Páginas

terça-feira, 31 de maio de 2016

Times do Rio pedem socorro.


Ninguém reparou que um doido atirou para o alto no casamento com um fuzil e matou 3 ^^.

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Taís Araújo é chamada de 'Bruxa do 71' e causa na web


Taís Araújo, 37, foi uma das convidadas do “Domingão do Faustão” neste fim de semana. Com um vestido roxo, a atriz não escapou do olhar imperdoável dos internautas e acabou sendo comparada com uma famosa personagem do seriado infantil “Chaves”. (Foto: Reprodução/TV Globo)



domingo, 29 de maio de 2016

Mulher pede doações para apagar tatuagem que fez no braço.


Patricia passou a vestir roupa de manga comprida com vergonha de exibir a tatuagem no braço que fez da presidenta Dilma Rousseff. Bisonha né =D















Estudante do quarto período de rentolonologiatistica, Patricia Poeira, 27 anos, atualmente só veste camisa de manga longa, apropriada para o frio, não por causa do clima, mas para ocultar uma tatuagem que fez no braço, no ano passado, com o nome de Dilma Rousseff. 

Ela se arrependeu de ter feito a tatuagem e iniciou uma campanha, na Internet, para pedir doações, arrecadar dinheiro e fazer uma cirurgia para apagar a tatuagem. Até o fechamento desta reportagem Patrícia não recebeu uma doação sequer, mas tem esperança que as pessoas vão contribuir.



Fã do PT de carteirinha, Patrícia fez a tatuagem com o nome da Dilma antes das eleições passadas, mas se decepcionou porque está desempregada, sem dinheiro para pagar a conta de luz que aumentou e, ainda, teve que vender a moto por causa do preço da gasolina. "Se eu conseguir arrecadar dinheiro e fazer a cirurgia vou ficar muito feliz em remover o nome da Dilma do meu braço, e talvez eu faça uma nova tatuagem, com o nome de Lula, porque ainda tenho esperança nele", disse Patrícia.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Homem é procurado pela polícia por vender falsos cavalos.
























A polícia está à procura de um golpista que vendeu vários cavalos afirmando que eram unicórnios. No fim da tarde de hoje a polícia apresentou um retrato falado do golpista segundo informações do delegado, o golpista usava cola para inserir um chifre na testa dos cavalos fazendo-o ficar parecido com o unicórnio.

Cerca de 40 falsos unicórnios foram vendidos na região do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, as vítimas do golpista estão desesperadas pois pagaram ao larápio cerca de R$ 10 mil por cada unicórnio e além disso não conseguiram registrar ocorrência pois o plantão na delegacia local teve que ser levado às pressas para o hospital devido a crises de risos, é o que relataram as vítimas.

domingo, 22 de maio de 2016

Quadrilha que vendia notebooks surpreende com a criatividade.



O negócio é ganhar dinheiro patrão, são tudo zoião, tô quase rico kkk é tábua artesanal nós somos artistas. 
Quanta criatividade pra cometer crimes kkk!

sábado, 21 de maio de 2016

Processos judiciais mais bizzarros da história.


Confira agora alguns dos processos mais bizarros da história.

Condenado a 20 anos de prisão por assassinato, Mircea Pavel, de 41 anos, processou Deus. A alegação: quando ele foi batizado, Deus prometeu protegê-lo do Diabo.
Como o seu crime foi obra do demônio, Deus não cumpriu sua parte no contrato. Em 2011, a corte decidiu que o processo estava fora de sua jurisdição.




Robert Brock é um americano, que em 1995 resolveu processar a si mesmo. Robert foi preso por dirigir embriagado e agredir pessoas em um bar. Segundo ele, tais atos violaram suas crenças religiosas e pede como indenização U$$ 5 milhões. Mas como estava preso, Robert esperava que o Estado tivesse que pagar a indenização a ele. A justiça norte americana não aceitou o processo. "É impossível você ser credor de você mesmo, a divida é automaticamente anulada".


Em 2008, Wanderson Rodrigues de Freitas, de 22 anos, invadiu uma padaria em Belo Horizonte. Portando um pedaço de madeira para simular uma arma embaixo da camiseta, rendeu a funcionária do caixa, pegou os R$ 45 que encontrou e estava de saída quando o dono do estabelecimento apareceu na porta. Era o décimo assalto em 7 anos de existência da padaria – o mais recente tinha acontecido apenas 4 dias antes. O comerciante se irritou e partiu para cima de Freitas. Os dois rolaram pela escada que dá acesso ao estabelecimento. Na rua, o ladrão apanhou de outras pessoas que passavam, até a polícia ser chamada e prendê-lo em flagrante. Ele foi preso e, de dentro da cadeia, entrou com um processo por danos morais contra o dono da padaria. “Os envolvidos estouraram o nariz do meu cliente”, diz José Luiz Oliva Silveira Campos, advogado do ladrão. “Em vez de bater, o dono da padaria poderia ter imobilizado Wanderson. Ele assaltou, mas não precisava apanhar.”

A ação não foi aceita pelo juiz, Jayme Silvestre Corrêa Camargo. “A pretensão do indivíduo, criminoso confesso, apresenta-se como um indubitável deboche”, ele afirmou em sua decisão. “Uma das exigências para pedir indenização é o que o seu ato seja lícito, e não é o caso”, diz Clito Fornassiari Júnior, mestre em direito processual civil pela PUC-SP. Wanderson está preso e aguardando o julgamento.





sexta-feira, 20 de maio de 2016

Como suportar um "mala" no trabalho.






















Não é nenhum segredo: passar o dia com gente legal pode nos deixar felizes, conviver com gente chata faz com que nos sintamos mal com alguma frequência. Mas ter de lidar com colegas de trabalho escrotos faz mais do que isso: pode prejudicar nosso desempenho profissional.
Essa foi uma das conclusões do estudo liderado pela professora Gretchen Spreitzer, da Escola de Negócios Ross da Universidade de Michigan. Ela e sua equipe já haviam descoberto, em estudos anteriores, que perspectivas de crescimento na empresa e relacionamentos com pessoas positivas (que eles chamam de relações “energizantes”) levam a um melhor desempenho profissional e melhores resultados nos negócios.
O estudo de agora vai pelo caminho oposto: descobrir se a relação com pessoas babacas (que seriam as “desenergizantes” ) são apenas um pé no saco ou se tem consequências mais profundas.
Foram feitos então dois estudos em duas empresas diferentes. Na primeira, foi pedido a funcionários de TI em uma empresa de engenharia que avaliassem suas relações com os colegas. Os pesquisadores também analisaram as avaliações de desempenho de cada funcionário. O resultado foi que, quanto mais uma pessoa tinha que interagir com gente babaca, menor era seu desempenho no trabalho.
O segundo estudo, feito com funcionários de uma empresa de consultoria, teve essas mesmas características, mas com uma coisa a mais: os voluntários também tiveram de responder o quanto achavam que estavam prosperando na carreira. Os resultados revelaram que quem sentia que tinha boas chances de crescimento profissional se saiu melhor em suas avaliações de desempenho, apesar da convivência com as pessoas “desenergizantes”.
A perspectiva de crescer na empresa atenua os efeitos negativos das pessoas negativas“, comenta a autora. E isso mostrou a ela que há algumas medidas que empregados e chefes podem adotar para evitar que esses tipos prejudiquem os outros: 
Como lidar se você é funcionário
– Limite tanto quanto puder as interações com pessoas negativas e babacas, sem medo.
– Aumente o tempo que você gasta com pessoas que fazem você se sentir bem.
– Tenha certeza de que o seu trabalho é significativo.
 Como lidar se você é chefe
– Defina padrões de comportamento adequado no ambiente de trabalho e cobre de seus funcionários o respeito a essas regras. Spreitzer observa que, muitas vezes, pessoas difíceis são tecnicamente boas no que fazem, e por isso há uma tendência da chefia em fazer vista grossa ao mau comportamento.
– Leve em conta o comportamento da pessoa antes de decidir promovê-las – lembre-se de que as promoções afetarão outras pessoas.
– Dê aos funcionários feedback regular sobre seu trabalho e priorize os treinamentos que envolvam cultura de trabalho e comportamento profissional.
 Para a autora, tais medidas não só melhoram o dia a dia das pessoas, como também afetam os resultados da empresa – gente feliz produz mais e melhor – e aí todo mundo sai ganhando.
fonte: superinteressante

quinta-feira, 19 de maio de 2016

A disputa de penalty mais hilária de todos os tempos




Quase me enganaram, rsrs as primeiras boladas pensei que fosse sério kkk coitado do homem

A disputa de penalty mais hilária de todos os tempos





quarta-feira, 18 de maio de 2016

Mulher de 64 anos vira musa fitness.



Quem vê Wendy Ida, de 64 anos, com o corpo todo sarado nem imagina o motivo que a fez entrar em forma. A americana procurou uma academia pela primeira vez aos 43 anos depois de conseguir se livrar de um relacionamento abusivo, que destruiu sua autoestima. 
















Em entrevista ao “Daily Mail”, Wendy contou como a atividade física transformou a sua vida. “O exercício foi uma fuga. Não achei que sobreviveria àquela relação e quando consegui sair daquilo, sabia que precisava mudar”, contou.
Desde que começou a se empenhar, Wendy criou um ritmo intenso de exercícios e segue à risca uma dieta rigorosa, que inclui clara de ovos, muita proteína, peixe e vegetais. Isso fez com que ela perdesse 36 quilos. Hoje em dia com 52 quilos, ela já foi oito vezes campeã americana de levantamento de peso.  








Detalhe importante: ela já é vovó e é claro que as pessoas não acreditam quantos anos ela tem. “As pessoas não acreditam e pedem para ver minha carta de motorista. Elas dizem que pareço ter trinta e poucos anos”, conclui.
A americana revela ainda que teve autos e baixos e que o resultado da mudança não foi de uma hora para outra.
“Muitas vezes emagrecia e depois engordava de novo. Mas a minha transformação aconteceu quando comecei a praticar levantamento de peso”, afirma.
“O exercício ajudou muito a minha autoconfiança, então decidi ajudar outras mulheres também. Elas chegam até mim sem nenhuma autoconfiança e dizem que sou a última esperança. Tempos depois me contam como estão bem e como a vida mudou. Dizem que eu as inspiro, mas elas me inspiram também. São elas que me fazem ir adiante”, disse.

terça-feira, 17 de maio de 2016

Homens com voz grossa têm mais filhos.






Pesquisadores já tinham avisado que os homens com voz grossa parecem mais atraentes para o sexo oposto. E também que essa preferência feminina pelos vozeirões é maior durante o período fértil. Daí o pessoal da Universidade de Harvard (EUA) resolveu juntar A + B (o que, apesar de parecer óbvio, ninguém ainda tinha feito): reuniram um grupo de pouco mais de 100 voluntários (homens e mulheres) de uma pequena comunidade da Tanzânia (devido ao pouco uso de métodos contraceptivos por lá) e, após gravarem e analisarem os timbres de voz de cada um, analisaram também seus desempenhos no campo fértil.
O que isso mostrou: a voz não parece interferir na capacidade reprodutiva da mulher. Mas os homens que falam grosso têm, “consistentemente”, mais filhos do que a média. A culpa, segundo o estudo, é da testosterona (sempre ela!), que influencia tanto o timbre da voz (como mostra esse outro estudo aqui)quanto a vida sexual do homem.
Como dizem os pesquisadores, a voz grossa é, para as mulheres, um sinal da “qualidade do parceiro”, reprodutivamente falando. O que pode indicar que o número maior de filhos seja um simples efeito natural de ter um número maior de parceiras. Ou não. Os caras deixam a resposta final na mão de “estudo futuros”. Mas ainda jogam uma ideia interessante, capaz até de preocupar os que falam grosso: “não pudemos confirmar a paternidade (durante a pesquisa), então não dá para descartar a possibilidade de os homens com voz grossa serem apenas mais confiantes (em não terem sido traídos) do que os de voz mais aguda”, dizem. Será que, por algum motivo, os que falam grosso são mais “bobinhos”? Fica a dúvida.
fonte: superinteressante

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Americano realiza, pela primeira vez, transplante de pênis.


Mas atenção! essa cirurgia é pra quem perdeu o bilau e não pra quem tem o pintinho pequeno, por favor não forcem a barra kkk.


( Foto: Getty Images)

Thommas Manning, de Massachusets, nos Estados Unidos, acaba de receber o primeiro transplante de pênis do país. O americano de 64 anos teve o órgão removido após passar por um câncer.
A operação foi feita pela equipe do cirurgião plástico Curtis L. Cetrulo. Segundo o médico, se a recuperação de Thommas se der de maneira normal, ele deve conseguir voltar a ter uma micção normal dentro de algumas semanas e as relações sexuais podem ser restabelecidas dentro de alguns meses.
A cirurgia custou entre US$ 50 mil e US$ 75 mil, o equivalente a aproximadamente R$ 175 e R$ 263 mil, e durou cerca de 15 horas. O paciente, que teve o órgão transplantado de um doador falecido, revelou que está se sentindo bem e com pouca dor. Manning disse ainda que espera voltar a ser quem era.
Embora incomum, esta cirurgia não foi a primeira realizada no mundo. O primeiro transplante deste tipo foi realizado na  Universidade de Stellenbosch na África do Sul em dezembro de 2014.
Nos Estados Unidos, a ideia agora é usar este projeto experimental como parte de um programa de pesquisa que visa ajudar veteranos de guerra feridos em combates e também vítimas de câncer e outros acidentes.

domingo, 15 de maio de 2016

veja onde viviam os funcionários que fabricavam o iPhone 6


Essa era as condições em que trabalhavam os montadores do iPhone 6, o dormitório tinha um banheiro para cada 40 operários, que trabalhavam 12 horas por dia, mais tempo do que dura a bateria do celular da Apple.



O jornal inglês Daily Mail visitou o Kangqiao Road East, domitório de quatro andares que  foi esvaziado em fevereiro de 2016, quando o volume de trabalho da Pegatron diminuiu. Até esse momento, quase 3 mil pessoas viviam lá. Eram mais de 600 por andar, e 12 apertadas em cada quarto, dormindo em beliches. As instalações eram todas adaptadas a partir de uma antiga fábrica.
Se a Apple gosta de produtos com design clean, as paredes mofadas do dormitório contam outra história. O banheiro abandonado tem poças de água verde e cubículos que davam para um esgoto aberto ao invés de privadas. Privacidade no banho? Nem pensar. Os chuveiros coletivos eram planejados para que até 20 trabalhadores tomassem banho por vez.

Um membro da Patrulha do Trabalho na China, uma organização que investiga más condições de emprego, se infiltrou na Pegatron e morou por dez dias no complexo. Segundo ele, os quartos eram úmidos e passaram por surtos de percevejos. Na época, metade do banheiro estava interditada, deixando, na prática, um cubículo para cada 40 trabalhadores. Nos horários de pico - pela manhã ou depois da jornada de trabalho - as filas nos chuveiros, banheiros e pias eram gigantescas.
Morar nessas condições, trabalhando 12 horas por dia e ganhando cerca de 1300 reais ao mês já parece um quadro bastante ruim. Mas fica pior: os funcionários precisavam pagar aluguel pela moradia. Só por um pedaço da beliche, o desconto mensal no salário era de quase 100 reais.
A Pegatron se defendeu, afirmando que o dormitório só chegou ao estado péssimo visto pelos jornalistas depois que o complexo foi fechado. Antes, cada quarto tinha ?só? 8 pessoas, água quente o tempo todo, serviço de segurança, faxina 6 vezes na semana e ar condicionado. Confira o vídeo abaixo e veja se dá para imaginar esse ?padrão de qualidade?

sábado, 14 de maio de 2016

Estudo revela o que muitos diriam o contrário sobre vídeo games

Tá liberado !!



Os videogames são uma das atividades favoritas das crianças, mas os seus efeitos sobre a saúde muitas vezes são vistos como algo negativa. No entanto, um estudo realizado pela Universidade de Columbia revela que crianças podem se beneficiar dos jogos eletrônicos. 

Os pesquisadores, que avaliaram a associação entre a quantidade de tempo gasto jogando jogos de vídeo e de saúde mental e as habilidades cognitivas e sociais das crianças, descobriram que a prática eleva em 1,75 vezes a função intelectual e 1,88 vezes a competência na escola. Além disso, aqueles que jogam vídeo game tem menos dificuldades de se relacionarem com outras crianças. 

O estudo analisou crianças com idades entre 6 e 11 anos, sendo que os pais avaliaram a saúde mental de seu filho em um questionário, os professores avaliaram o sucesso acadêmico e as próprias crianças responderam a perguntas através de uma ferramenta interativa. Desse grupo, 20% jogavam mais de 5 horas de games por semana.

Via Science Daily

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Estudantes mexicanos conseguem provar que touros só atacam quando provocados.



Experimento bastante interessante, mas não fico mesmo na frente de um bixo desses rsrs, vamos conhecer um pouco mais sobre como surgiu as touradas.


Na Espanha do século III a.C., a caça aos touros selvagens já era um esporte popular, com raízes em cultos religiosos ancestrais. “O animal era celebrado como deus da fertilidade pelos povos mediterrâneos da Antiguidade. Antes dos casamentos, o ritual exigia que o noivo matasse um touro para invocar uma união próspera”, diz o antropólogo holandês Marco Legemaate, especialista no assunto. No início da Idade Média, por volta do século V, a matança do bicho havia se consagrado, na península Ibérica, como exercício de coragem e destreza e os touros eram perseguidos até a exaustão por multidões, também comemorando casamentos, nascimentos e batizados. Algo parecido ocorre até hoje na festa de São Firmino, em Pamplona – onde, todo ano, mais de 2 mil pessoas correm dos touros soltos nas ruas da cidade espanhola – e na famigerada Farra do Boi, aqui mesmo no Brasil, em Santa Catarina.
Mas o registro mais antigo de algo semelhante às touradas atuais só aparece em 1135, como parte dos festejos da coroação de Afonso VII, rei de Leão e Castela. Nessa época, porém, o toureiro era um nobre que enfrentava o touro montado a cavalo e armado de uma lança. “Esse era o teste supremo na preparação dos cavaleiros medievais espanhóis”, afirma Legemaate. Para os plebeus, restava o papel de escudeiro, que, a pé, ajudava a liquidar o bicho. Esses papéis seriam invertidos numa surpreendente reviravolta histórica. Com a chegada à Espanha da dinastia francesa dos Bourbon, no início do século XVIII, a nobreza local abandonou diversões rústicas como essa para se entregar aos prazeres da corte, deixando a arena livre para camponeses e boiadeiros criarem a tourada moderna. Resultado: o antigo escudeiro assumiu o papel principal de toureiro e o cavaleiro passou a ser o mero coadjuvante que ajuda a minar a resistência do animal.
“Aí começam a surgir o repertório de técnicas e manobras e o conjunto de regras que definem a tourada como arte popular”, afirma Maria de La Concepción Valverde, professora de literatura espanhola da Universidade de São Paulo (USP). A figura-chave nesse processo, ainda no século XVIII, foi o lendário Francisco Romero, o primeiro toureiro profissional, creditado como introdutor da espada, para liquidar o touro, e da muleta, uma capa de tourear menor. Entre 1910 e 1920, a tourada atingiria seu apogeu como febre nacional, estimulada pela rivalidade entre Joselito e Belmonte, famosos por criarem novas manobras espetaculares. Hoje, as 325 arenas espanholas são palco de 17 mil touradas por ano, movimentando mais de 1 bilhão de dólares e empregando 200 mil pessoas – quase 1% da força de trabalho do país. Mas, para os movimentos de defesa dos animais, tudo não passa de tortura sádica. “O sofrimento do touro é explícito, com muita perda de sangue”, diz António Abel Pacheco, do Movimento Anti-Touradas de Portugal.

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Homem tem a mão esquerda costurada dentro da barriga.


Em janeiro de 2016, o catarinense Carlos Mariotti estampou os principais portais do mundo depois que precisou de uma invenção cirúrgica na qual tinha a mão esquerda costurada dentro da barriga. Passados os 40 dias estipulados pelos seus médicos, ele finalmente tirou o membro “do bolso” e contou como se sentiu nas últimas semanas.

Saúde na emergência, Negligência
Foi na última segunda (9) que o seu martírio acabou. De acordo com reportagem do G1, tudo começou com um grave acidente de trabalho, quando a mão esquerda dele foi dilacerada após ficar presa em uma máquina de fazer bobinas, na fábrica onde trabalhava.
Ao chegar no hospital, os médicos prontamente levantaram a hipótese de amputação da mão, mas um último recurso ainda era possível: colocá-la dentro do corpo, a fim de proteger os ossos até que os tecidos se regenerassem. 
Depois disso, deverá passar por enxerto. Segundo o ortopedista e traumatologista Bóris Bento Brandão, trata-se de um procedimento considerado “clássico” na cirurgia.
“Foi um pouco incômodo, fiquei 40 dias sem dormir direito. Na última semana, fiquei um pouco ansioso”, contou Mariotti ao site. Ele admitiu que precisou de disciplina para manter o membro “dentro do bolso”, como orientou o médico. “Botei na minha cabeça e nunca tive a intenção de puxar; poderia arrebentar os pontos. Quando eu me levantava da cama, doía, mas sempre tive fé.”

Saúde na emergência, Negligência


Até o momento, tudo está sendo considerado bem sucedido e de acordo com o esperado. “Vamos dizer que está meio caminho andado, evoluindo dentro do que esperamos”, completou Brandão ao portal. “Ver o jeito que a mão estava e como está agora, para mim, é uma felicidade.”
O médico explicou que atualmente a mão danificada está parecendo uma “luva de boxe”, isto é: com os dedos (menos o dedão) grudados pela pele. Os próximos passos são a realização de enxertos localizados e, depois, a separação dos dedos. Para se ter uma ideia de como a situação é delicada e dolorida, o homem precisa ser anestesiado toda vez que troca o curativo.
O mais surpreendente de tudo é que, mesmo após sofrer um acidente de trabalho completamente traumático física e psicologicamente, o objetivo de Carlos é voltar ao trabalho. “Mostraram umas imagens. É outra mão, uma mão maior. Mas vai demorar um pouco. Um, dois anos, mas vou poder abotoar um botão da camisa, dirigir. Minha expectativa é poder voltar a trabalhar”, encerrou.  
Fotos: Reprodução/G1

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Casos bizarros de reações alérgicas com cosméticos.


(Reprodução/ Facebook)

A americana Lily Cleopatra Maurice ficou conhecida na Web depois que publicou em seu Facebook a alergia que teve ao utilizar uma nova linha de batons da marca Cover Girl.
A jovem conta que usou o batom na noite anterior e acordou com os lábios enormes e teve que ser levada imediatamente para uma emergência.
Depois de ser atendida, Lily contou que foi diagnosticada com angiodema, espécie de inchaço semelhante à urticária, que afeta camadas mais profundas da pele.
Acontece devido à acumulação de líquidos causados por uma reação alérgica. A moça provavelmente teve um tipo de angioedema causado devido a uma alergia à um aditivo ou a um corante, geralmente usado em alimentos. Este tipo de angioedema pode ocorrer junto com uma reação anafilática e é muito perigoso.
“Por favor, tenham cuidado com o batom Queen Collection, da Cover Girl. Comprei um nesta semana e acordei sufocando com os lábios enormes, inchados. Tive de ser levada para o hospital. Eu poderia ter morrido durante o sono. Por favor, fiquem atentas aos produtos nocivos à saúde em batons", e ainda aproveitou pra dar uma "queimada" na marca, escreveu no Facebook.
Outras pessoas já passaram por situações semelhantes ao de Lily. Veja na galeria!



segunda-feira, 9 de maio de 2016

Ajudar a esposa com serviços de casa pode acabar em divórcio.


Eu sempre soube disso, kkk graças a Deus, um estudo realizado pelo  Instituto de Ciências Sociais Nova, na Noruega, concluiu que em famílias onde as tarefas domésticas são partilhadas, as hipóteses de divórcio aumentaram em 50% em comparação com aquelas famílias onde a maioria do trabalho de casa é realizado por mulheres.
Um dos autores do estudo, intitulado “Equality in the Home”, ou seja, “Igualdade em casa”, Thomas Hansen é enfático ao analisar os dados. “Quanto mais ajudar um homem na casa, maior o risco de divórcio”. Ele continua: “Casais modernos distribuem tarefas domésticas e têm uma percepção menor do casamento sagrado, nestes casais modernos, as mulheres muitas vezes são altamente qualificadas e têm empregos bem pagos, tornando-se menos dependentes economicamente dos seus maridos. Portanto, podem lidar mais facilmente com casos de divórcio”
A Noruega tem uma longa tradição de igualdade de gênero, e a educação dos filhos é compartilhada igualmente entre mães e pais em 70% dos casos, mas quando se trata de tarefas domésticas, as mulheres na Noruega ainda fazem a maior parte das tarefas. O estudo enfatizou que as mulheres fazem isso por sua própria vontade estão “felizes” como as mulheres dos casais “modernos”.
Os dados mostram claramente que “quanto mais um homem faz em casa, maior a taxa de divórcio”, finalizou Hansen.